DESPESAS COM REFORMAS ESTÁDIOS PARA COPA 2014

Chegou ao meu conhecimento, e muitos devem saber igualmente, que para sediar a Copa de Futebol de 2014 o país gastou verdadeira fortuna em publicidade apelativa. Agora, um PPS recebido de amigos esclarece o montante que se irá gastar para a reconstrução - reformas em estádios já existentes - e construções de novas arenas para a prática futebolística.

O dinheiro não virá dos clubes, pois que a maioria deles anda na "corda bamba", financeiramente falando; muitos agremiações esportivas se acham mesmo no "vermelho": salários atrasados, encargos sociais nas mesmas condições e outros problemas inerentes ao mundo de negócios do futebol. Pois pasmem: o montante dessa despesas com estádios para a Copa de 2014 atingirá, de saída, R$ 5.713 bi. É uma "bagatela", para um país que nada em dinheiro, que distribui entre os países irmãos vultosas somas, que perdoa dívidas elevadíssimas aos países africanos e ainda financia não sei que obras ou situações na Grécia. Melhor é lacrar os cofres da Previdência, a fim de se evitar futuros transtornos àquela instituição e aos seus beneficiários.


segunda-feira, 27 de outubro de 2008

SURPREENDIDO A CADA DIA

SURPREENDIDO A CADA DIA

Postado em 27/10/08


Não consigo entender, por maior boa-vontade que busque em minha compreensão, a razão dessa ferocidade que se descobrem todos os dias na face múltipla de uma juventude desprovida de quaisquer provimentos a um demorado raciocínio sobre seu norte na bússola do bom entendimento com o mundo, e suas causas. Há que ter um motivo muito forte que vá degringolar, de maneira abrupta, seu equilíbrio mental e nervoso face a situações incontroláveis de seu ponto de vista. No campo afetivo, age como se adonando de seu objeto sentimental; torna-se propriedade sua, exclusiva e intransferível, como expressado em termos comerciais; todavia, não pode ser esse o caminho que toma grande parte dos jovens machos; nem entre a animália selvagem há desideratos como os praticados pelo bicho Homem!

Ainda hoje, pela telinha do meu aparelho de TV, vi uma cadelinha arriscar a sua vida para salvar uns gatinhos presos em uma caixa e sem possibilidades de se livrarem de um incêndio que grassava num velho sobrado. É possível se aceitar a afirmativa de que os animais, nossos irmãos menores na escala evolutiva, não tenham "raciocínio" claro e compreensivo às situações periclitantes? A prova contrária se apresentou.

O que falta ao bicho Homem - cujo cérebro tem privilégios diferenciados dos demais seres - que conjuga a Vida lado a lado a essas "existências" menores no mesmo planeta conhecido por Terra? Grande lição nos deu a pequenina e assustada cadelinha.

Não é possível que até mesmo a violência tenha sido globalizada! Em todo rincão do nosso planeta surgem casos de violência coletiva - nos EUA esses fatos são comuns - com supressão de vidas preciosas de inocentes, e todos com requintes de barbárie - perdoem-me os bárbaros, que na antiguidade empaparam o solo terrestre com o sangue de suas vítimas por uma causa política, religiosa ou econômica, pois todos eram mais ou menos bárbaros -. Os mesmos requintes se repetem nas sociedades muçulmanas, aonde a intolerância - principalmente religiosa - chega às raias dos absurdos!

Até quando os homens - a juventude deveria marginalizar-se a esses propósitos sanguinários, abdicando ao ato possessivo - agirão como "feras" feridas e sem nada que denote tenham eles uma alma que julga com discernimento antes de condenar e executar uma sentença arbitrária?

Como éramos pacíficos em nossos tempos de juventude... A mansuetude era a marca registrada nos compêndios da Vida; éramos dóceis e as moças gráceis; éramos compreensivos e as jovens atenciosas; éramos equilibrados e elas judiciosas; não havia, salvo erro ou omissão, casos como os de hoje.

Haverá esperança para a juventude da Era Espacial? Os sonhos, desse grupo que se repete ciclicamente na sociedade humana, não passarão de pesadelos de posse total? Ou serão eles, partícipes desse conjunto de mentes brilhantes, os algozes de um futuro que já se enraizou? A nós, adultos, cabe exemplificar com condutas serenas, com amor, com compreensão e com gestos pacificadores a trilha a que eles devem
escolher. Não estamos mais na Idade Média - o Tempo do obscurantismo -, nem das Guerras Púnicas, nem das guerras napoleônicas ou, sequer, das revoluções francesas, com seus resultados sangrentos, nem dos levantes marxistas em lutas por seus direitos, e, ainda, das Primeiras e Segundas Guerras Mundiais. Assinemos o Tratado de Paz em nossos corações e teremos acertado no coração das violências cotidianas.


13:22:00 de Blog do Morani

Um comentário:

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Estimado amigo Morani

Acho que falta a nossa juventude é esperança... e aqui vem mais uma tese dum marxista incirrigivel como eu... o capitalismo e a massificação realizada pelo sistema nos roubou uma das coisas melhores que o ser humnano já teve, ou seja, a esperança... esse sentimento que nos leva a desejar o impossível e alutar por nossos ideais. Com a morte da esperança o desejo de lutar e os ideais também foram sepultados.
Abraços de seu amigo...
Hudson Luiz