DESPESAS COM REFORMAS ESTÁDIOS PARA COPA 2014

Chegou ao meu conhecimento, e muitos devem saber igualmente, que para sediar a Copa de Futebol de 2014 o país gastou verdadeira fortuna em publicidade apelativa. Agora, um PPS recebido de amigos esclarece o montante que se irá gastar para a reconstrução - reformas em estádios já existentes - e construções de novas arenas para a prática futebolística.

O dinheiro não virá dos clubes, pois que a maioria deles anda na "corda bamba", financeiramente falando; muitos agremiações esportivas se acham mesmo no "vermelho": salários atrasados, encargos sociais nas mesmas condições e outros problemas inerentes ao mundo de negócios do futebol. Pois pasmem: o montante dessa despesas com estádios para a Copa de 2014 atingirá, de saída, R$ 5.713 bi. É uma "bagatela", para um país que nada em dinheiro, que distribui entre os países irmãos vultosas somas, que perdoa dívidas elevadíssimas aos países africanos e ainda financia não sei que obras ou situações na Grécia. Melhor é lacrar os cofres da Previdência, a fim de se evitar futuros transtornos àquela instituição e aos seus beneficiários.


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ESCLARECIMENTOS NECESSÁRIOS

24/09/09

Tenho usado o meu blog mais para abrigar posts dos meus amigos - o que faço com muito gosto - que propriamente postar os meus comentários. Os que aqui coloquei, de minha iniciativa, foram os mais íntimos, os que marcaram a minha vida de modo pugente, ou as relembranças de dias alvissareiros. Urge, agora, que eu peça, aos muitos comentaristas amadores como eu, esclareçam um ponto crucial nesse universo de blogues: tenho lido muitos deles ultimamente nos blogues do meu amigo Hudson,de Marcia e do Eduardo,de São Paulo, que passa por momentos delicados com o estado de saúde de sua filhinha Victória. Ele fez uma pausa merecida e mais que necessária em suas lides de blogueiro e de cidadão que usa a sua cidadania para emitir opiniões sobre tudo o que gire em torno deste país chamado Brasil.
Ora, bem, admito e acato todas as confessáveis tendências simpáticas ao atual governo do senhor Lula. É de direito e indisfarçável crença que tendam a aplaudir as medidas tomadas pelo referido governante. Isto posto, e esclarecido com toda a minha sinceridade, enveredemos agora àqueles esclarecimentos que se fazem necessários.
Uma coisa não entendi ainda, por mais me esforce a tanto. Pelo que ainda me é dado compreender com lucidez, mediante perorações dos muitos comentaristas que se apensam àqueles blogues lúcidos, nesta nação brasileira só há uma imprensa, de caráter "golpista",entretanto, e por isso apelidada pejorativamente de PIG.
Tudo, então, me leva a crer que o governo do senhor Lula não tem um só meio de comunicação que lhe faça justiça. Quero apenas entender, não polemizar. Onde vai o seu governo buscar os canais para os seus comunicados publicitários? Nos meios chamados PIG: Rede Globo, Bandeirantes, Record, jornalões como o Estado de São Paulo, O Globo e em muitas rádios e em outros canais. Onde o seu governo gasta os milhões em publicidade? Por que permite sejam cobertos os seus discursos e as suas medidas por esses que se congregam na Tenda PIG? Não, não é possível que toda uma imprensa esteja contrária aos seus atos. Não há um só canal, desses tantos, que acreditem em sua boa vontade de governar para o povo, com o povo e pelo povo?
Que creditem a ele o sucesso completo às suas intervenções como mandatário principal desse gigante que tentam despertar e fazer deslanchar de vez?
Seria crível se, fazendo um governo equilibrado e justo, igualitário a toda camada social, sem retaliações, mandando que se cumpra todos os direitos devidos à população, não tenha ele uma só página, uma só imagem, um único som, que não vá apoiá-lo incondicionalmente. Não! Só existe o PIG. Eu já disse em um comentário postado no blogue do senhor Eduardo: "quanto mais lenha se atira à caldeira de uma locomotiva, mais potência terá ela para avançar, sem obstáculos". É necessário se busque o equilibrio e o consenso total - imparcial e irreprímivel - para se colocar as rodas aos eixos. E que ele, o presidente Lula, reconheça que também é falível como quaisquer outros seres humanos; que nem sempre são perfeitas suas medidas; que se delonga a tomar àquelas que realmente mudem, uma vez para sempre, o perfil de toda uma nação que nada mais é que o povo, que representa em sua totalidade uma pátria chamada Brasil. O povo brasileiro não é meramente um índice estatístico, um numero a mais ou a menos na economia geral. Ele existe, é material, é atuante e impulsiona essa pátria amada aos píncaros da Glória a que tem direito. O povo não é apenas um clicar de tecla na máquina de votar; um peso negativo que vá se transformar em obstáculo aos caminhos da democracia e ao estado de direito. O povo é gente, respira, sofre, sorrí ou chora, aplaude ou apedreja, levanta e sepulta os que se lhes tornam seus algozes. Por mais que digam o contrário - virá do PIG a assertiva benéfica? -, esse nosso povo sofre já há quinhentos anos. Há, no cancioneiro nacional uma música muito antiga, que diz: "O pobre povo brasileiro, não tem, não tem mesmo dinheiro, o ouro veio do estrangeiro, mas o que é do povo brasileiro?" E continua a mesma e vergonhosa situação. Coloquem-se os olhares paternos primordialmente às questões internas e nunca, prioritariamente, aos problemas da África ou aos de nações no nosso Continente. Não se dilapide nossas riquezas e nossas economias elevadas mercê a um processo de pesados encargos, e ao suor do trabalho hodierno desse povo. Chega de benesses alienígenas e de apelidar nossa imprensa de golpista. Busque fazer o correto e terá o senhor Lula, ou qualquer outro governante, a imprensa ao seu lado, ombro a ombro a caminhar num mesmo é único rumo.

Um comentário:

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Amigo Morani
Gostaria de salientar alguns pontos:
1- O governo Lula, justiça seja feita, democratizou as verbas publicitárias, antes monopolizadas pelos grandes grupos de mídia. Hoje até o jornal daquela cidade remota consegue uma fatiazinha dessa verba de publicidade. Isso é justo, democrático e louvável, uma vez que a verba para publicidade sai do erário, portanto do dinheiro dos contribuintes. E embora o governo Lula a reparta de forma mais democrática não houve aumento proporcional nos gastos à publicidade federal.
2- Os barões da mídia são contra Lula não por ele ter elevado a política externa brasileira a um patamar inédito em nossa história. Prova disso é a campanha odiosa e irresponsável que o Grupo Bandeirantes vem fazendo contra o governo e em especial contra a revisão dos índices de produtividade rural – ele mesmo, o Grupo Bandeirantes, dono de latifúndios – insinuando que o Brasil pode entrar em “guerra civil”. Ou então a maneira como a grande mídia se posiciona contra o novo marco regulatório do petróleo. Basta ainda citar que Lula reduziu a velocidade da locomotiva neoliberal fomentada pelos tucanos e que tanto agradava a elite entreguista.
3- Quanto ao olhar que Lula dá a algumas nações estrangeiras, trata-se na verdade duma política de Estado visando não só consolidar o Brasil como protagonista no Hemisfério Sul, mas que também entende que nada adiantará crescermos economicamente e reduzir nossa desigualdade social se estivermos ao lado de países miseráveis. Já disse antes e repito, Lula agiu como verdadeiro estadista no contendo contra a Bolívia. Sem maiores rusgas garantiu a abastecimento de gás e nem por isso o consumidor brasileiro pagou mais caro – esse capitulo do governo merece uma analise bem mais profunda do que essa superficial que faço agora. Já quanto ao abrigo a Manuel Zelaya, trata-se na verdade de dizer aos gorilas hondurenhos, instigados pelo Departamento de Estado ianque, que já não cabe mais golpes militares e ditaduras fantoches na América Latina. Caso fiquemos calados diante desse acinte estaremos abrindo as portas para um retorno ao passado que além de não querermos,nos parecia superado.
Uma diplomacia fraca e cheia de tibieza só interessa a quem possui poder de dissuasão, diplomacia forte e poder militar exacerbado, ou seja, no caso dos países americanos, ao EEUU.

Saudações
Hudson Luiz