DESPESAS COM REFORMAS ESTÁDIOS PARA COPA 2014

Chegou ao meu conhecimento, e muitos devem saber igualmente, que para sediar a Copa de Futebol de 2014 o país gastou verdadeira fortuna em publicidade apelativa. Agora, um PPS recebido de amigos esclarece o montante que se irá gastar para a reconstrução - reformas em estádios já existentes - e construções de novas arenas para a prática futebolística.

O dinheiro não virá dos clubes, pois que a maioria deles anda na "corda bamba", financeiramente falando; muitos agremiações esportivas se acham mesmo no "vermelho": salários atrasados, encargos sociais nas mesmas condições e outros problemas inerentes ao mundo de negócios do futebol. Pois pasmem: o montante dessa despesas com estádios para a Copa de 2014 atingirá, de saída, R$ 5.713 bi. É uma "bagatela", para um país que nada em dinheiro, que distribui entre os países irmãos vultosas somas, que perdoa dívidas elevadíssimas aos países africanos e ainda financia não sei que obras ou situações na Grécia. Melhor é lacrar os cofres da Previdência, a fim de se evitar futuros transtornos àquela instituição e aos seus beneficiários.


segunda-feira, 28 de setembro de 2009

IMPASSE EM HONDURAS

IMPASSE EM HONDURAS

Os países das Américas Central e Sul estão diante a um grande e perigoso impasse diplomático. O Brasil, por iniciativa do Presidente Lula e do Itamaraty, deram acolhida ao deposto Presidente Zelaya, de Honduras, em nossa Embaixada naquele país.
Até ai, nada de mais. É previsto pelo Direito Internacional o asilo político a um cidadão que se ache perseguido dentro de seu território. Ora, Zelaya, o presidente deposto, se acha incluído neste contexto.
O que não se pode admitir é o asilado usar o espaço da Embaixada Brasileira para discursar e sublevar a população à desobediência civil e achar que é normal a sua atitude quando não é.
Mediante tal posicionamento da Diplomacia Brasileira, não exigindo silêncio por parte do referido senhor, a Suprema Corte daquele país deixou de sobreaviso o nosso governo de que pode suspender a inviolabilidade da referida Representação.
Ou o nosso governo exige temperança ao asilado ou não poderá entrar com uma ação internacional de restabelecimento àquele direito sem mexer com toda a estrutura que rege a segurança das Embaixadas em quaisquer países. Quanto a isso, ninguém da imprensa [não PIG] abre a boca para as reclamações de praxe. Se a imprensa dita PIG se manifesta contra tais liberdades do asilado aí então é chamado golpista pelos adeptos do Presidente Lula.
Ora, faz-se previdente acabar de vez com tal lengalenga cansativo de PIG, por qualquer toma lá dá cá, e se reconheça a atitude errada daquele senhor, deposto da Presidência de Honduras. A nossa Embaixada não deve servir de palanque a quem quer seja, ainda mais com objetivos políticos.
Se houve golpe, então se ultimem as medidas de praxe para o restabelecimento da aplicação do direito ao Presidente eleito democraticamente no país. Estas são as minhas considerações democráticas, em seus objetivos, e pacíficas em suas explanações. Estarei alinhado ao chamado PIG?

Um comentário:

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Caro Morani

Só hoje passei por aqui, andei um pouco ocupado. Volto a defender a posição firme, corajosa e lúcida de Lula e do Itamaraty. Só a Washington e aos lacaios da direita estadunidense interessa que a diplomacia brasileira seja fraca e débil. No mais, Zelaya foi deposto e expulso do país. Onde está o direito alienável da presunção de defesa??? O plebiscito que ocorreria em Honduras seria para convocar, ou não, uma reforma constitucional. Será que a Constituição hondurenha é assim tão brilhante que está cheia de causas pétreas e coloca na ilegalidade todo o cidadão que ousa questioná-la??? Apenas Constituições totalitárias são capazes de tanto!!! Portanto, há algo muito mais podre do que aquilo que a grande mídia teima em mostrar.