DESPESAS COM REFORMAS ESTÁDIOS PARA COPA 2014

Chegou ao meu conhecimento, e muitos devem saber igualmente, que para sediar a Copa de Futebol de 2014 o país gastou verdadeira fortuna em publicidade apelativa. Agora, um PPS recebido de amigos esclarece o montante que se irá gastar para a reconstrução - reformas em estádios já existentes - e construções de novas arenas para a prática futebolística.

O dinheiro não virá dos clubes, pois que a maioria deles anda na "corda bamba", financeiramente falando; muitos agremiações esportivas se acham mesmo no "vermelho": salários atrasados, encargos sociais nas mesmas condições e outros problemas inerentes ao mundo de negócios do futebol. Pois pasmem: o montante dessa despesas com estádios para a Copa de 2014 atingirá, de saída, R$ 5.713 bi. É uma "bagatela", para um país que nada em dinheiro, que distribui entre os países irmãos vultosas somas, que perdoa dívidas elevadíssimas aos países africanos e ainda financia não sei que obras ou situações na Grécia. Melhor é lacrar os cofres da Previdência, a fim de se evitar futuros transtornos àquela instituição e aos seus beneficiários.


quarta-feira, 9 de setembro de 2009

UMA PASSAGEM À DOÇURA DA PAZ



Qual ser humano não gostaria de encontrar pelos caminhos de sua vida uma passagem pejada por sombras acolhedoras como essa que aparece na imagem acima? Ela nos convida a pisar em seu chão, a nos deliciarmos sob as suas sombras e a sorver a atmosfera de paz e de silêncio que ali existe.
Os caminhos do homem são ásperos. O mundo não pode oferecer mais nada a não ser violência aos olhos espantados dos seres humanos, que trânsidos de medo não vêem saída para se livrar das armadilhas diárias. As fantásticas paisagens da vida de cada qual são dignas de um filme de terror. Debatemo-nos contra esses fundos de vida, debalde, porém. Nossos olhares se esgotam diante dos tétricos eventos que se multiplicam em escalas cada vez menos humanizadas, como se não nos bastassem os acontecimentos que sóem suceder nas existências, sem termo. Se tudo são tristeza, dor, distanciamento e saudade devemos à cegueira que nós mesmos buscamos com nossos próprios pés. Encontrar o Portal que nos leve àquela paragem sossegada onde as proprias cores são bálsamos, é dever de todos, mas só o encontraremos se nos desvencilharmos dos mais baixos sentimentos que nos assaltam e se homiziam em nossas almas imortais. Como? Efetuando uma "faxina" geral em nosso subconsciente - a caixa-forte de todos os nossos sentimentos - e iluminando os seus escaninhos mofados abrindo as janelas para o verdadeiro Sol de nossas existências pequenas: DEUS.

Um comentário:

Hudson Luiz Vilas Boas disse...

Tanto paisagem quanto texto muito lindo e calmos.
Dá gosto ver e ler!!!